Estando entre uma das cincos finalistas do prêmio de melhor biblioteca pública da Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias (IFLA), a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL) que fica localizada na zona oeste de São Paulo, foi construída através de um incrível processo de revitalização, que utilizou o espaço do lixão a céu aberto que funcionava na região para dar espaço aos livros e fornecer uma leitura de livre acesso.

O projeto foi realizado pelo arquiteto Décio Tozzi e inaugurado em 2013, tendo como objetivo principal sediar o centro de referência em educação ambiental, porém este não conseguiu ocupar boa parte do pavilhão, sendo destinado assim para a utilização da biblioteca.

O BVL utiliza do uso aparente do concreto que auxiliam a destacar as varandas abertas que fornecem a vista para os espelhos da água que rodeiam a construção. Já no interior do pavilhão a proposta desenvolvida por Marcelo Aflalo, foi criar áreas integradas para ampliar o caráter multidisciplinar do ambiente e que auxiliem na leitura, por meio de películas para proteção solar que ajudam a reduzir o excesso de luminosidade.

Atualmente o projeto concorre com bibliotecas da Noruega, Cingapura, Holanda e Estados Unidos. O ganhador será anunciado dia 28 de agosto, em uma cerimônia na Malásia e ganhará o prêmio de 5 mil dólares (cerca de R$ 19,4 mil), para definir o ganhador foram criados critérios como a interação do equipamento com o entorno, programação de serviços e atividades, as oportunidades que o ambiente oferece para a comunidade e se é usada de maneira inovadora para enriquecer a experiências dos leitores.

 

Fonte: ArchDaily.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here