Ao dar uma volta pela região central de uma grande metrópole é muito difícil encontrar imóveis de apenas um andar. Isso porque as cidades estão cada vez mais verticalizadas. E, da mesma forma que é difícil encontrar casas de apenas um andar, é quase impossível encontrar uma região sem prédios.

Esse processo de verticalização é um processo universal e relativamente antigo. Ele é uma consequência natural da urbanização e crescimento demográfico, estando diretamente associado ao desenvolvimento de uma tecnologia do século XIX: o elevador.

Original das fábricas inglesas, os elevadores eram instalados para reduzir a perda de energia dos trabalhadores ao transportar produtos dentro dos locais de trabalho. Essa estratégia foi muito bem recebida para as grandes cidades, que a incorporaram nas construções. O primeiro elevador em um edifício alto de Nova Iorque só foi registrado em 1857.

Outro motivo para o processo de verticalização é que era preciso lidar com o crescimento da população, criando novas moradias. Porém, elas não poderiam ser afastadas dos grandes centros industriais e comerciais. Então, o elevador veio como solução. Com o princípio de facilitar a locomoção, os elevadores possibilitaram a criação de edifícios com 20, 30 ou até 40 andares.

Verticalização em Curitiba

No Censo de 2010, o IBGE apontou um aumento no processo de verticalização das grandes cidades, que coincide com um forte aumento no número de domicílios da categoria apartamento. Entre os 20 municípios com maior número de apartamentos estão as cidades com forte presença de veraneio, como Balneário Camburiú, as principais capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, e algumas outras grandes cidades com forte atividade econômica.

Contudo, Curitiba tem um grande destaque nesse cenário de verticalização. Como já comentamos, Curitiba é uma cidade verde e pra cima, sendo foi eleita em 2015 como a cidade mais sustentável da América Latina. Isso graças ao excelente planejamento urbano, realizado principalmente pelo Instituto de Pesquisa Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC). O instituto avalia a topografia da região, estrutura viária e outros aspectos para permitir a construção de novos planejamentos, a fim de evitar problemas urbanos, como caos no transporte e a própria sustentabilidade econômica da cidade.

Com mais de 45 anos de experiência, os imóveis da Apolar Personnalité passam por uma cuidadosa avaliação, para manter sempre o padrão elevado que nossos clientes procuram. Confira o nosso site e acompanhe o nosso blog para ficar por dentro de dicas e notícias sobre Curitiba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here