Botânico-by-night_-600x450

Curitiba tem opção de city tour noturno

Com duração de cerca de 4h, a programação termina com jantar no Madalosso, em Santa Felicidade.

Principais pontos turísticos da cidade são visitados como o Jardim Botânico

O city tour Curitiba By Night oferecido pela Serra Verde Express proporciona conhecer a beleza dos principais atrativos turísticos de Curitiba à noite.  O passeio é realizado em vans e passa pelos principais cartões postais da cidade como Jardim Botânico, Ópera de Arame, Museu Oscar Niemeyer, Centro Histórico, entre outros. Com duração de cerca de 4h, a programação termina com jantar no Madalosso, em Santa Felicidade. (mais…)

Continuar Lendo

 

Passeio_Publico_1_Curitiba_Brasil[1]

Atividades para você e sua família: Parques e Bosques em Curitiba – Passeio Público

Passeio Público

É o mais antigo parque municipal de Curitiba, criado por Alfredo D´Estragnolle Taunay quando presidente da Província do Paraná, e inaugurado em 1886. Nasceu da drenagem de um terreno pantanoso. Passou por várias transformações ao longo do tempo, tendo sido conhecido como Jardim Botânico.

A partir de sua inauguração, o Passeio se tornou o mais tradicional ponto de encontro dos curitibanos, cumprindo integralmente a sua finalidade. Em 2 de julho de 1887 ali foram inaugurados 8 lampiões a gasolina, mais tarde aumentados para 17, doados pelo comércio e a indústria da cidade. A 19 de dezembro de 1887, ali brilhou pela primeira vez na noite curitibana a lâmpada incandescente de luz elétrica, em concorrida demonstração realizada pelo alemão Schewing que, auxiliado pelo engenheiro Lazzarinni, um dos construtores da Catedral, instalou um gerador para informar a Província do mais novo prodígio da ciência moderna.

O Passeio Público, primeiro zoológico da cidade, foi palco de fatos marcantes na vida cultural e no folclore curitibanos. Em 1909, foi dali que alçou vôo num balão a intrépida Maria Alda, para aterrizar desastradamente no telhado da Catedral Metropolitana, na Praça Tiradentes. Em 1911, na ilha desde então chamada da Ilusão, o simbolista Emiliano Perneta foi coroado “Príncipe dos Poetas Paranaenses”.Passeio Público

Os portões do Passeio são históricos e o que dá acesso à entrada principal é cópia fiel do que existiu no Cemitério de Cães de Paris.

Na década de 70, com a concretagem do lago e a canalização do Rio Belém na Rua Ivo Leão, o lago passou a ser alimentado por água de poços artesianos. Atualmente, o Passeio funciona como sede do Departamento de Zoológico e abriga os pequenos animais que permaneceram quando o Zoológico se transferiu para o Parque Iguaçu em 1982.

É o parque mais central da cidade, com implantação e equipamentos em torno do verde de diversas espécies nativas e exóticas. Carvalhos e ciprestes centenários se harmonizam às paineiras e jacarandás mimosos, abrigando sob sua copa a vivência de sabiás, tico-ticos e canários-da-terra. Também há coleirinhas, chupins, pica-paus, sanhaços, pombos e majestosas garças brancas em desfile pelo lago. Ilhas e pontes interrompem as aléias, capturando o olhar e os passos do caminhante.

Outras atrações são o Terrário que, numa área de 156 m2, abriga 40 animais, entre serpentes e lagartos de espécies exóticas e raras, vindas de diversas partes do mundo e o Aquário que possui 30 variedades de peixes de rios e ornamentais da região amazônica e da África.

No Passeio, o lazer corre manso no remanso das águas do lago, divididas entre os cisnes, as garças e os pedalinhos. Na pausa das caminhadas, cruzando pontes e aléias ou na agitação da prosa-debate, retempera-se o espírito dos curitibanos.

 

  • Área: 69.285 m2
  • Localização: Rua Carlos Cavalcanti X Av. João Gualberto X Rua Presidente Faria
  • Bairro: Centro
  • Ano de Implantação: 1886
  • Acesso: Gratuito
  • Fauna: Sabiá, tico-tico e canário-da-terra, coleirinha, chupim, pica-pau, sanhaço, pombo, joão-de-barro e garça branca.
  • Flora: Árvores nativas e exóticas como o carvalho, o cipreste, a paineira, o jacarandá, o plátano, o ipê-amarelo, a canela e o eucalipto.
  • Equipamentos: Restaurante, play-ground, aquário, terráreo, sanitários, rinque de patinação, ponte pênsil, casa da guarda, pedalinhos, pista para caminhadas, ciclovia, bicicletário.

 

Telefones:

  • 222-2742
  • 223-6574
  • 233-2158

 

Horário de funcionamento:

Terça-feira a domingo, das 06 às 20 horas.

Continuar Lendo

 

ago-set-2012+017[1]

Sexta atividades para você e sua família: Parques e Bosques em Curitiba – Parque Tingui

Parque Tingui

 

O nome do parque é uma homenagem ao povo indígena que primeiro habitou a região de Curitiba. Os tinguis eram índios combativos, hábeis na execução de armas e utensílios de pedra. Orgulhosos de sua ascendência, tinham um belo porte, daí o nome tingui significar “nariz afinado”.

Parque Tingui
1 – Portal
2 – Cancha esportiva
3 – Guarda municipal
4 – Playground
5 – Estacionamento
6 – Ponte
7 – Pista de caminhada / ciclovia
8 – Lago
9 – Pergolado
10 – Ponte coberta
11 – Memorial ucraniano
12 – Portal ucraniano
13 – Réplica de igreja ucraniana
14 – Loja de produtos típicos
15 – Palco
16 – Campanário / sanitários
17 – Pêssanka
18 – Praça Brasil 500 anos
19 – Sede de manutenção
20 – Caminho
21 – Churrasqueiras
22 – Rio Barigui
23 – Equipamentos de ginástica

Numa das entradas do parque está a estátua do cacique Tindiquera, feita pelo artista plástico Elvo Benito Damo. Conta a lenda que o líder da tribo Tingui foi quem indicou aos colonizadores o local como deveria ser instalada a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais. “Aqui!”, teria gritado o cacique, assentando forte a sua lança, onde hoje é a Praça Tiradentes. A estátua, esculpida em bronze e em tamanho natural, apresenta o índio carregando em uma mão o varapau com que demarcou o sítio da futura capital paranaense, e na outra, uma pinha, simbolizando as araucárias.

O Parque Tingui faz parte de um projeto mais abrangente da Prefeitura de Curitiba. O projeto global prevê a implantação de um parque linear em toda a extensão do Rio Barigui, unindo-o aos parques Tanguá e Barigui.

Obra de saneamento e preservação ambiental, o Parque Tingui alterna em sua pista de caminhada paisagens de lagos, pontes e mata nativa, percorridos ao lado do Rio Barigui.

O parque também abriga o Memorial Ucraniano, onde está implantada a réplica de uma igreja ucraniana onde são realizados eventos culturais e exposições. No Memorial pode-se encontrar loja, palco, portal, mirante, monumento em forma de “pêssanka” (ovos pintados à mão em filigranas para saudar a Páscoa) e campanário, baseados no estilo que caracterizam as construções da Ucrânia, de caráter histórico/cultural, homenagem à influência da cultura ucraniana na história de Curitiba.

Em 19 de abril de 2000, em homenagem aos 500 anos do descobrimento do Brasil, foi inaugurada a Praça Brasil 500 Anos. Com o formato de um disco de 15 metros de diâmetro e a rosa dos ventos, a praça destaca a importância dos antigos descobridores, exemplos de conhecimento, ousadia, coragem e espírito empreendedor. Para a ocasião, a réplica de uma caravela portuguesa foi erguida na parte central da praça, retirada após as comemorações.

 

  • Área: 380.000 m2
  • Localização: Entre as ruas Rua Fredolin Wolf e José Valle, ao longo do Rio Barigui.
  • Bairro: São João
  • Ano de Implantação: 1994
  • Acesso: Gratuito
  • Fauna: Pato silvestre, morcego, gambá, tatu, cisqueiro, pavó, quero-quero, frango-d’água, jaçanã, marreca ananaí, socó-dorminhoco, joão-de-barro, sabiá-laranjeira, bem-te-vi, parelheira, cobra-d’água, boipeva, jararaca, teiú, cágado-cabeça-de-cobra.
  • Flora: Branquilho, veludo, maria-mole, cambuí-do-brejo, embira-branca, baga-de-pombo, tarumã, aroeira, congonha, corticeira-do-brejo, bromélia, cambuí-manchado, miguel-pintado, mamica-de-porca, araucária, canela, pessegueiro-bravo, bugreiro, carvalho, cafezeiro-bravo, erva-mate, imbuia, sassafrás, camboatá, pinheiro-bravo, caúna, guaçatunga, bracatinga.
  • Equipamentos: Ciclovia, pista de cooper, pontes de madeira, iluminação, portais, churrasqueiras, canchas de futebol e vôlei, play-ground, sanitários, administração, estacionamento, casa da guarda municipal.

 

Horário de funcionamento:

De segunda-feira à domingo, ininterrupto.

 

Ônibus:

  • Raposo Tavares – Vila Nori (Travessa Nestor de Castro)

Continuar Lendo

 

Atividades para você e sua família: Parques e Bosques em Curitiba – Parque Tanguá

Parque Tanguá

Situado nas antigas pedreiras da família Gava junto ao rio Barigui, entre os municípios de Curitiba e Almirante Tamandaré, este parque – inaugurado em 23 de novembro de 1996 pelo prefeito Rafael Greca – preserva a natureza num local destinado inicialmente para abrigar uma usina de reciclagem de caliça e lixo industrial.

Parque Tanguá
1 – Mirante / sanitários / Bistró
2 – Jardim Poty Lazarotto
3 – Portal
4 – Estacionamento
5 – Rio Barigui
6 – Churrasqueiras
7 – Paredão de pedra
8 – Túnel
9 – Passarela
10 – Cascata
11 – Lanchoete / deck
12 – Rampa
13 – Mirante
14 – Praça
15 – Ponte
16 – Pista de cooper
17 – Ciclovia
18 – Pergolado
19 – Lago
20 – Recanto
21 – Pedreira com cascata
22 – Manutenção
23 – Guarda Municipal

Posteriormente, em 6 junho de 1998 foi inaugurado pelo Prefeito Cassio Taniguchi, dentro do parque, o Jardim Poty Lazzarotto com: portal de acesso, mirante a 65m de altura, cascata e um grande jardim em estilo francês com canteiros de flores e espelhos d’água- de onde projeta-se o belvedere, na forma de terraço elevado em meio a um tapete verde. Nos três pisos do belvedere encontram-se distribuídos decks metálicos, bistrô, sanitários públicos, loja e torres para observação.

O Jardim Poty Lazzarotto eterniza a memória do artista plástico Napoleon Potyguara Lazzarotto, um curitibano nascido no aniversário de Curitiba, em 29 de março de 1924. Poty, ainda menino rabiscava sonhos em papel de embrulho, no restaurante Vagão do Armistício, a beira dos trilhos da estrada de ferro, no bairro Cajuru. Cresceu e sua arte está em livros, gravuras, quadros, murais, painéis, ruas e praças da cidade. Poty viveu entre nós até 8 de maio de 1998.

 

  • Área: 235.000 m2
  • Localização: Rua Oswaldo Maciel
  • Bairro: Taboão / Pilarzinho
  • Ano de Implantação: 1996
  • Acesso: Gratuito
  • Fauna: Pato silvestre, morcego, gambá, tatu, cisqueiro, pavó, quero-quero, frango-d’água, jaçanã, marreca ananaí, socó-dorminhoco, joão-de-barro, sabiá-laranjeira, bem-te-vi, parelheira, cobra-d’água, boipeva, jararaca, teiú, cágado-cabeça-de-cobra.
  • Flora: Branquilho, veludo, maria-mole, cambuí-do-brejo, embira-branca, baga-de-pombo, tarumã, aroeira, congonha, corticeira-do-brejo, bromélia, cambuí-manchado, miguel-pintado, mamica-de-porca, araucária, canela, pessegueiro-bravo, bugreiro, carvalho, cafezeiro-bravo, erva-mate, imbuia, sassafrás, camboatá, pinheiro-bravo, caúna, guaçatunga, bracatinga.
  • Equipamentos: Estacionamentos, lagos, ancoradouro, lanchonete, pista de Cooper, ciclovia, cascata, caramanchão, ponte, mirante, belvedere, bistrô, sanitários, loja, torres para observação, jardim com canteiros e espelhos d’água.

 

Horário de funcionamento:

  • Parque – diariamente das 8:00 às 18:00
  • Bistrô – diariamente das 9:00 às 21:00

 

Ônibus:

  • Nilo Peçanha (Travessa Nestor de Castro)
  • Vila Nori (a partir da Praça Tiradentes)

Continuar Lendo

 

Atividades para você e sua família: Parques e Bosques em Curitiba – Parque São Lorenço

Parque São Lorenço

 

Desde 1972, cultura, criação e natureza se encontram em torno do lago do parque São Lourenço, formado pelo Rio Belém. Tudo começou com a grande inundação de 1970, com o estouro da represa do São Lourenço, então pertencente à fábrica Adubos Boutin. O projeto atendeu à regulagem das águas do Rio Belém e aproveitamento da área ao redor, com reciclagem de uso de uma antiga fábrica de cola.

A velha fábrica, cuja chaminé de tijolos à vista pode ser avistada de longe, e seu maquinário, hoje transformado em esculturas, formam o Centro de Criatividade, uma oficina de concretização do sonho, a matéria-prima da criação. Sua instalação ocupou cinco pavilhões da antiga fábrica que foram reciclados e adaptados para abrigar o Centro. Atelier de artes e ofícios, auditório, espaço de exposições e biblioteca compõem o apoio à criatividade.

No parque o verde se distribui entre remanescentes de floresta com araucária. A ciclovia que circunda o lago serve como ponto de interligação aos ciclistas que fazem o percurso entre o Parque da Barreirinha, ao norte, e o Bosque João Paulo II, no centro da cidade.

Parque São Lourenço
1 – Centro de Criatividade
2 – Teatro Cleon Jacques
3 – Biblioteca
4 – Administração
5 – Casa Erbo Stenzel
6 – Estacionamento
7 – Cancha esportiva
8 – Pista de rolimã
9 – Pista de caminhada e ciclovia
10 – Lago
11 – Área de acesso restrito
12 – Atelier de Escultura
13 – Sede de manutenção / sanitários / Guarda Municipal
14 – Churraqueiras
15 – Chaminé

 

Em junho de 1998, amparado por incentivo cultural, foi remontada e restaurada, ao lado do atelier de escultura, a casa do escultor Erbo Stenzel, transferida do seu terreno original na Travessa General Francisco Lima e Silva, no Alto São Francisco. O local, além de abrigar exposições, funciona como uma casa da cultura e acolhe o acervo e documentação do escultor, gravador, impressor, desenhista e professor paranaense.

 

  • Área: 203.918 m2
  • Localização: Rua Mateus Leme
  • Bairro: São Lourenço
  • Ano de Implantação: 1972
  • Acesso: Gratuito
  • Fauna: Preá, roedores silvestres, gambá, morcego, sabiá, socó, biguá, saracura quero-quero, coleirinha, pintassilgos tico-tico, galinha-de-angola, pica-pau, coruja e gavião.
  • Flora: Capão de floresta nativa com aroeira, araçá, alfeneiro, estremosa, pinheiro-bravo, canela, pau-de-bugre, pitangueira.
  • Equipamentos: Play-ground, pista de rolimã, pista de cooper, churrasqueiras, Centro de Criatividade, sede administrativa, teatro, Casa Erbo Stenzel, sanitários, canchas de futebol e vôlei, ponte, ciclovia, lago, estacionamento, posto policial.

 

Horário de funcionamento:

De segunda-feira à domingo, ininterrupto.

 

Ônibus:

  • Abranches, Vila Suíça, Jardim Chaparral e Taboão-Água-Verde
  • Interbairros II (Terminal Cabral)
  • Pró-parque – domingos e feriados (saída Passeio Público)

Continuar Lendo